Como morar sozinho no Rio de Janeiro: 3 dicas mega importantes

A cidade do Rio de Janeiro é uma das mais famosas do mundo todo. Enquanto alguns a veem como “a cidade maravilhosa”, outros pensam nela como um local de alto índice de criminalidade. Na verdade, os dois lados estão certos, afinal, é uma cidade com uma grande desigualdade social. Dito isso, mudar para a capital fluminense pode sim ser uma experiência positiva, desde que você fique atento a alguns detalhes. Para facilitar esse processo, preparamos 3 dicas de como morar sozinho no Rio de Janeiro.

Comece escolhendo um bairro

prédios da cidade do rio de janeiro

O Rio de Janeiro é uma cidade muito grande, possuindo mais de 160 bairros diferentes dentro da sua extensão de cerca de 1.200 km². Por isso, o primeiro passo para quem quer saber como morar sozinho no Rio de Janeiro é decidir qual região da cidade é a mais adequada para você.

Para tomar essa decisão é preciso levar em consideração alguns fatores, como o custo de vida, a segurança, os estabelecimentos próximos, os pontos de transporte público, entre outros. Além disso, é importante ter em mente os objetivos da sua mudança. Por exemplo, se você vai pro Rio de Janeiro para estudar, a melhor opção seria morar em um lugar próximo à faculdade ou, ao menos, de fácil acesso a ela.

Dito isso, vamos conhecer alguns dos principais bairros da cidade para ajudar na sua escolha. A cidade do Rio de Janeiro pode ser dividida entre 4 zonas: a sul, a norte, a oeste e a central.

A zona sul é a região mais famosa, afinal, é onde fica localizada grande parte das atrações turísticas, como as praias do Leblon, Ipanema e Copacabana, sem contar os dois maiores ícones da capital fluminense: o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar. Por isso, o custo de vida é um dos mais caros da cidade, principalmente, em bairros como o Leblon e o Humaitá, conhecidos por serem residência de muitas celebridades. No entanto, também é possível encontrar apartamentos mais em conta em Botafogo e no Flamengo.

Por outro lado, a zona norte é conhecida pelo seu valor histórico, sendo o berço das escolas de samba mais tradicionais do país, como a Portela, a Mangueira e a Unidos da Tijuca. Além disso, morar na zona norte pode agradar muito aos fãs de futebol, afinal, é onde fica situado o estádio do Maracanã. No geral, essa região oferece valores de aluguel mais baratos e pode ser uma ótima escolha para quem prefere morar em um local que tem um visual de cidade pequena. Entre os principais bairros da região estão a Vila Isabel, a Tijuca e o Méier.

A zona oeste é a que ocupa a maior parte do município, cerca de 70% do território. Devido a sua extensão, os seus bairros variam muito no que diz respeito aos valores e qualidade de vida: enquanto a Barra da Tijuca e o Recreio dos Bandeirantes são mais caros, os bairros mais distantes como o Santa Cruz oferecem um custo de vida mais em conta. Portanto, se você está disposto a morar um pouco mais longe do centro da cidade, viver na zona oeste pode ser uma boa maneira de reduzir as suas despesas.

Por fim, morar no centro pode ser mais caro do que nas outras zonas, porém, essa região é uma das mais ricas culturalmente. Museus, restaurantes e prédios históricos não faltam, sem contar que o local oferece muitas opções de mobilidade, como ciclovias, pontos de ônibus, trens e o Aeroporto Santos Dumont. Além disso, a região compreende a maioria dos campi de faculdade do município, como a Mackenzie, ESPM e a UFRJ.

Planeje-se financeiramente

como juntar dinheiro para morar sozinho

Fazer uma mudança é um processo que pode ser bem dispendioso, principalmente se você vai se mudar para um grande centro urbano como São Paulo e a capital fluminense. Por isso, a nossa segunda dica de como morar sozinho no Rio de Janeiro é saber planejar os seus gastos antecipadamente.

Primeiramente, utilize as informações contidas no tópico anterior para descobrir quais regiões e bairros serão mais vantajosos para você. Em seguida, pesquise sobre a média dos valores de aluguel das regiões escolhidas, afinal, esse será o seu maior gasto. Depois, adicione ao valor do aluguel todas as demais despesas, como contas de energia, água, internet, etc. Assim, você chegará a um valor aproximado dos seus gastos totais. 

Desse modo, você saberá se já possui uma quantia adequada ou se será melhor juntar mais dinheiro para poder se mudar de forma mais tranquila. O principal é se preparar ao máximo antes de tomar qualquer decisão, principalmente pelo fato de que morar sozinho costuma sair mais caro do que dividir um imóvel. Se quiser ser ainda mais prudente, considere fazer uma checklist com tudo que irá precisar. Clique aqui para mais informações sobre como fazê-la.

Como morar sozinho no Rio de Janeiro

Cristo Redentor

Agora que você já conhece os pontos principais da capital fluminense, é hora da última dica de como morar sozinho no Rio de Janeiro: aproveite a cidade maravilhosa! As suas alternativas são diversas, afinal, a paisagem cultural da cidade é tão rica quanto a natural.

Se você se interessa por arte, por exemplo, morar no Rio certamente será uma experiência prazerosa. O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro é imperdível. Com mais de 15 mil obras de arte no acervo, o museu possui pinturas, fotografias e esculturas nacionais e internacionais, sem contar que a instituição realiza regularmente mostras de cinema de diversos gêneros. Além do MAM, a cidade também possui outros centros culturais muito importantes como o Museu Histórico Nacional, o Instituto Moreira Salles e o Museu do Amanhã, para citar alguns.

Por outro lado, se você preferir o ar livre e a beleza natural, também não faltarão opções: o Pão de Açúcar e o Cristo são os mais óbvios. Além deles, você pode visitar a Pedra da Gávea, o Jardim Botânico e o Mirante Dona Marta, caso queira ter uma visão panorâmica de todo município.

bondinho no pão de açúcar

Com essas 3 dicas valiosas de como morar sozinho no Rio de Janeiro, o processo de mudança com certeza será mais tranquilo. O importante é analisar bem o seu poder aquisitivo, assim como as suas metas e, dessa forma, poder encontrar uma opção de moradia mais adequada.

Morar sozinho não significa necessariamente uma vida solitária. Afinal, o povo carioca é conhecido pela sua sociabilidade e inclusão. Portanto, siga as nossas sugestões e seja feliz na cidade maravilhosa!

Índice do Conteúdo

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.