“Acordar antes do amanhecer do sol, carregar, esperar, ficar no trânsito, ficar mais um pouco no trânsito, esperar, descarregar, esperar, trânsito, jantar, dormir, acordar…”

Este é o típico dia de um transportador rodoviário de carga. Como tudo na vida, a forma de rentabilizar seu furgão ou caminhão vai depender diretamente do que você prioriza. Tanto agregar quanto trabalhar por conta tem suas vantagens e desvantagens e não há escolha correta.

Agregar caminhão x Trabalhar autônomo

Afinal, quais as vantagens e desvantagens de cada escolha?

A grande questão que define qual a melhor opção é:

Você prefere segurança ou autonomia?

Responda a esta pergunta e tudo ficará bem mais fácil.

Agregar caminhão

Trabalhar agregado tem como principal vantagem o serviço diário. Você sabe que o dinheiro entrará na sua conta no começo do mês que vem. Não importa se for entregando geladeiras, cortinas, caixas ou alimentos, basta coletar e entregar as notas do dia.

Outra grande vantagem é o conhecimento prévio do nível de dificuldade do transporte, não havendo grandes surpresas. Em relação aos números, segundo estudo realizado pela NOLI SOLUÇÕES LOGÍSTICAS, verificamos o seguinte:

 Valor fixo diário (média) R$160,00
Valor por nota entregue (média) R$9,55
Quantidade de notas/dia 14
VALOR MÉDIO POR DIA R$293,70
VALOR MENSAL BRUTO R$6.461,40
Quilometragem média diária 120 KM
Custo com combustível R$49,37
Ajudante/dia R$50,00
CUSTO MÉDIO POR DIA R$99,37
CUSTO MÉDIO MENSAL R$2.186,14
VALOR LÍQUIDO DIÁRIO R$194,33
VALOR LÍQUIDO MENSAL R$4.275,26
Tabela 1. Pesquisa realizada com 23 transportadores com veículos do tipo HR Baú ou Kia Bongo no período de 03/2017 a 05/2017.

Olhando a tabela, percebe-se que é um rendimento diário relativamente bom. Apesar do prazo de recebimento ser de quase 30 dias, no final de 22 dias úteis de trabalho, o saldo será de R$6.461,40 bruto.

Assim, líquido, em tese, o transportador terá R$4.275,26. MARAVILHA! Mas não é bem assim.

Há gastos que muitas vezes não entram nas contas do transportador na hora de escolher a melhor forma de rentabilizar seu caminhão, como a possível parcela do veículo financiado, sua depreciação, custos de manutenção, seguro mensal e Imposto de Renda. Em uma conta simples para uma HR Baú 2014, teremos os seguintes custos mensais:

Parcela (60x) R$1.869,92
Depreciação R$541,66
Manutenção R$400,00
Seguro R$500,00
Imposto de Renda R$646,14
TOTAL “ESCONDIDO” R$3.957,72
Tabela 2. Custos “escondidos”

O lucro líquido no final do mês é de R$317,54. É claro que isso só ocorre se todos os itens forem considerados. Há custos muito mais fáceis de ver, como o boleto do caminhão, do que os intangíveis, no caso a depreciação. Além disso, grande parte dos transportadores não recolhe IR e não tem seguro, preferindo “torcer” para que nada de ruim aconteça. Desconsiderando depreciação, manutenção, seguro e IR, o transportador ficará com R$2.405,34.

Trabalhar Autônomo

A vantagem de ser autônomo, como o próprio nome diz, é que você realiza os serviços que desejar, quando desejar. “Não ter chefe” ou “não ter carga horário” são os principais lemas. Vamos aos números médios:

Valor do serviço R$376,67
Ajudantes (2) R$130,00
Custos de deslocamento (8 + 23) R$12,75
VALOR LÍQUIDO R$233,92
                               Tabela 3. Pesquisa realizada com 16 transportadores com veículos do tipo HR Baú ou Kia Bongo no período de 03/2017 a 05/2017. Transporte de 1 geladeira, 1 fogão, 1 mesa com 6 cadeiras, 1 sofá de 2 lugares, 1 armários de 2 portas desmontado, 1 cama box casal, 1 cômoda, 11 caixas. Distância: 8 km. Sem escadas ou empecilhos.

Aparentemente, um transportador autônomo estará em melhor situação que o agregado. Mesmo que os custos “escondidos” da tabela 2 sejam iguais, o ganho diário será bem melhor no final dos 22 dias de trabalho, gerando mais benefícios financeiramente falando. Mas tome muito cuidado.

Aí é que se encontra a grande desvantagem de um transportador autônomo. Ele terá um ganho superior ao agregado SE, e SOMENTE SE, ele tiver mais que 19 serviços em um mês. Imagine quantos orçamentos são necessários realizar para fechar este número de transportes. Além disso, considere que nem sempre é esta faixa de preços, havendo grandes divergências para baixo em função da gigantesca concorrência que existe (sem falar na crise).

Analisando os números, trabalhar de forma autônoma só será vantagem quando não houver mais financiamentos. Até lá, procure sempre um porto seguro de rendimentos, como uma empresa parceira, transportadoras ou locais que agregam veículos de carga e faça serviços esporádicos para complementar a renda.

transportador parceiro noli